quarta-feira, 4 de maio de 2011

Top 10 comidas e bebidas pra se comer na rua

Assim como quando a gente vai ao Rio, é obrigatório se tomar mate do barril de latão e comer um bixcoito grobo, e quando a gente vai a Natal é obrigatório comer umas castanhas de cajú, não poderia faltar umas comidinhas de rua típicas para quem anda na Turquia, e, mais especificamente, em Istambul.
Inspirada por uma lista do The Guide, eu fiz a minha, com itens que eu provei em sua maior parte.

Nada do que está na lista é difícil de achar, e quem for a Istambul terá, ao menos 452 chances de experimentar cada um. Se tem algo que eu não experimentei, foi porque eu dei mole ou não quis mesmo.

TOP 10 STREET FOODS AND DRINKS
(Não necessariamente nessa ordem)

1. Ayran - Trata-se de uma bebida que é uma mistura de iogurte, sal e água. Muito popular na Turquia, é tomada como acompanhamento do döner dürüm (veja abaixo), tost (o primo do nosso queijo-quente) e dos variados kebabs. 
Na primeira vez, minha mãe ficou curiosa de ver tanta gente tomando o conteúdo daquele potinho e pediu durante nosso vôo Istambul-Nevsehir e eu tomei achando que era iogurte docinho, porque todo mundo tomava enquanto fazia as refeições, como se fosse um suquinho de laranja. Não era docinho, não. Parecia uma coalhada aguada.
Na segunda vez, me foi oferecido junto com um tost, e, pra não fazer desfeita, tive que tomar. Minha mãe me fez o desfavor de ler que havia sal nos ingredientes, e aí pedi arrego e parei de tomar. Porque sério mesmo, quem toma bebida salgada????

2. Döner dürüm - É um wrap de carneiro assado com tomate, batata frita, alface e pimenta em um pão-folha conhecido como dürüm, vendido em vários büfes (fast-foods turcos) pela cidade. Na Europa, e até mesmo em alguns lugares aqui no Brasil, é conhecido só como döner ou como kebab. Dizem que o ayran é um ótimo acompanhamento para esse wrap (mas há controvérsias).





3.  Raki - raki é um licor derivado da uva e com sabor de anis, semelhante a outras bebidas como o árabe arak e o grego ouzo. É considerada a bebida nacional da Turquia e é, às vezes, chamada a "leite de leão"porque, quando a água é adicionada, a mistura fica com uma cor esbranquiçada. A maioria é bastante alcoólica (40% a 45% de álcool) e portanto, é normalmente diluído em água fria ou gelada.
Tive várias chances de experimentar o raki mas não consegui. A Turkish Airlines serve até durante o vôo. Primeiro porque me pareceu muito doce e depois porque sempre me disseram que é muito alcoólico e álcool + açúcar pra mim não é lá uma combinação muito benta. Eu já tinha provado um licor de anis na Itália, em La Spezia, na Ligúria, onde eles tomam muito esse tipo de licor, e doía até o dente de tão doce. Tanto que se botava grãos de café dentro para suavizar o gosto.
Mas eu experimentei um ouzo de café na Grécia, e era bom. Bem doce. Eu também trouxe um ouzo vermelho bonito pro meu namorado mas eu duvido que ele algum dia vá abrir a garrafa....

Enfim, alguém experimente o raki na Turquia e me diga se eu perdi muito.

4. Simit - Simit é uma rosquinha salpicada de sementes de Sésamo, tipo um bagel. Tem milhões de carrocinhas listradas de branco e vermelho vendendo simit. No começo, ficamos em dúvida sobre se ele era salgado ou doce, mas descobrimos que é salgado mesmo, e é bem gostoso. Comemos um no barquinho durante nossa aventura para a Vila no Fim do Mundo, que foi a abertura do nosso vídeo de reclamação sobre o Banco do Brasil, abaixo:




5. Elma Çay - Meus amigos e minhas amigas. O tal do Elma Çay mudou nossas vidas. Trata-se do chá de maçã. Toda vez que você entrar em qualquer estabelecimento que seja, da agência de turismo à banquinha de pashmina no Gran Bazaar, o turco que está lá vai perguntar se você aceita alguma coisa, de preferência um çay, que ou é o chá preto tradicional deles, ou o apple tea. O chá preto é um chá preto qualquer.
Já o chá de maçã é MÁGICO. Não é um chazinho de saquinho. Eles servem um chá instantâneo já adoçado. É claro que ainda dão mais uns 2 cubinhos de açúcar, porque turco quer matar todo mundo de hiperglicemia.
No Grand Bazaar, pra onde quer que você olhe, há um turco carregando uma bandejinha cheia de copos de çay.
Eu nem sei se esses chás têm controle de qualidade, parece uma parada meio paraguaia-árabe, mas vendem-se aos montes, caixas e mais caixas, em qualquer lugar, do mesmo jeito que as caixas de lokum.
Normalmente eles servem o de maçã verde, mas há de maçã vermelha e de maçã vermelha e verde misturadas, tudo ao gosto do freguês.
Compramos 2 caixas de 500 gramas mas já estamos pensando O QUE FAZER quando essas caixas acabarem.
Mermão, fica ligado. Aquele pozinho tem dorgas viciantes.

O chá mágico vem nessas caixinhas


6. Castanhas Assadas - As castanhas portuguesas assadas também são encontradas em qualquer lugar, principalmente em frente à Mesquita Azul ou à Hagia Sophia, em carrinhos listrados de vermelho e branco como os do simit. Como eu já tinha comido muitas quando morei na Itália, dessa vez eu não comi castanhas, principalmente porque elas são muito gordurosas. Mas comer um saquinho de castanhas é totalmente chic-inverno-europeu!


7. Café turco (türk kahvesi) - A primeira vez que tomei café turco foi, claro, na Embaixada. É um café bem preto com uma espuminha com bolhinhas coloridas. Confesso que pensei que fosse cremoso. Não, na verdade ele é só forte mesmo, muito forte. Estranhei muito porque o pozinho fica boiando no líquido, e sou meio fresca com sólidos na minha bebida. Quando acabei, tinha minha primeira borra de café no fundo da xícara, que virei no pires e esperei que a mãe do embaixador me lesse para dizer minha sorte. Como tinha que esperar a borra assentar, fui embora trabalhar e acabou que a única que sabe minha sorte até hoje é a mãe do embaixador.
O café turco é uma parte intrínseca da cultura turca. Dizem que é um ótimo digestivo para refeições pesadas. É tomado normalmente com a família ou amigos. Pode ser servido sade (sem açúcar), orta (médio) ou şekerli (açucarado).
O café turco representa um estilo único de torrar, moer, servir e beber café. Ele é servido em fincans, que são as delicadas xícaras de café turco e tradicionalmente feito em cezves, um pote de cobre com formato de sino.
Quando você termina o seu café, atenção, NÃO SE COME A BORRA! Eu já vi diplomatas fazendo isso. A borra, a gente deixa na xícara ou vira no pires se der a sorte de ter alguém que lê borra de café por perto.


8. Mexilhões recheados (midiye dolma) - Na hora que eu vi, eu salivei. Eu adoro ostra e essas coisas, e pensei que eles serviam como se faz na praia; abre a ostrinha, mata ela com limão e engole.
Só fui descobrir que não era isso quando o senhor do mexilhão recheado me deu de comer na boquinha (aparentemente é esse o costume lá): são conchas de mexilhão recheadas com mexilhão, arroz, molho, e, surpreeesa; pimenta do reino. Depois ele esguicha um montão de limão (que eu adoooooooro em qualquer coisa) e chucha na sua boca.
Depois de fazer aquela minha cara indefectível de DAMN HOT, o que aconteceu em 99% das vezes em que eu comia alguma coisa na Turquia, eu deixei minha queimação pra lá e fui e pedi outra. Depois, ele chuchou uns mexilhões na boca da minha irmã e todo mundo saiu de lá feliz cheio de pimenta na boca.
Esses aí eu comi no Balik Pazari, o Mercado de Peixe, que tem acesso pela Istiklal Caddesi, a rua das compras. Mas também vi em vários outros lugares pela Turquia inteira.
Fiquei me questionando da salubridade de comer mexilhões com arroz num mexidão preparado sei lá quando, em que condições, mas né, a gente toma mate de barril na praia.

O sr. dos mexilhões, logo após chuchar sua iguaria goela da Rachel abaixo

9. Sucuklu tost - Como eu disse anteriormente, a tost turca equivale ao nosso queijo-quente. Adicionando umas fatias de outro clássico turco, o sucuk, que é uma salsicha apimentada (não me diga), você faz o sucuklu tost!
Na ocasião em que me serviram ayran pela segunda vez, mais especificamente no escritório do Sr. Faik, o homem que salvou nossa vida em Marmaris, e sobre o qual falarei mais a frente, ele serviu também um desse sucuklu tost para cada uma de nós. Era um misto quente com anabolizante, enooorme e super recheado, e valeu como almoço e parte do jantar (sem brincadeira!). Muito bom para pessoas com fome. Claro que, a esse ponto, eu já não me importava se a parada ia ter pimenta ou não, porque certamente a resposta ia ser sim, então MANDA PRA DENTRO PIMENTA E COALHADA SALGADA! 

Embasbacadas com a gentileza do mr. Faik e com o tamanho do tost
(meu ayran tava ali do lado do saco plástico)

10. Lokuns - Eu sei que lokuns e baklavas não são exatamente comida de rua. Mas, em qualquer lugar que você ande, você encontra uma barraquinha vendendo caixas de lokum ou uma loja de doces vendendo lokuns artesanais. As barraquinhas normalmente vendem aquelas caixas paraguaias tipo as do chá, e o sabor é meio enlatado. Esses artesanais são muito mais gostosos e fresquinhos.
Lokum, conhecido no Brasil como Delícia Turca, é uma sobremesa feita de maisena e açúcar. Tem geralmente sabor de rosas ou frutas e consistência de geleia. É normalmente coberto com açúcar de confeiteiro ou coco ralado.
No Bazar de Especiarias, compramos alguns lokuns feitos de mel, que descobri serem muito mais gostosos do que os de açúcar. Compramos uns só de mel com pistache e uns de mel com sabor de romã com pistache. DE-LI-CI-O-SOS! Nos arrependemos de não ter trazido mais desses de mel. Recomendo comprar só desses!



----x----

Gente, há muita comida de rua para aproveitar por lá, mas que não pus na lista senão não seria um TOP 10.
CONTUDO, vou quebrar o galho de vocês e botar outros off the list:
  • Há os pirulitos feitos na hora (osmanli macunu), uma meleca que o mocinho estica num pauzinho e você sai chupando. Sempre tem um monte desses na frente da Mesquita Azul na hora das rezas. Como eu sou diabética, eu preferi passar longe, porque aí já é abusar, né?



  • Tem o sorvete turco, o dondurma, que ficou famoso com o vídeo do turco fazendo o japinha de palhaço. E é assim mesmo, todos fazem a mesma coisa. O sorvete tem uma liga que permite que o sorveteiro brinque com ele e faça coisas que até o diabo duvida. Ele tem uma consistência muito estranha. Pra mim, decidi que deve ser a mesma coisa que lamber uma água-viva!!! Mas vale comprar o sorvete só pela performance do sorveteiro.


  • Suco de romã - Em vários lugares pelas ruas, tem essas barraquinhas onde eles fazem sucos de romã, grapefruit ou laranja, espremidos na hora. Romã é uma fruta super exótica pra nós, brasileiros, e eu não sabia ser possível extrair suco de uma fruta que tem mais semente que parte suculenta. E não é que é uma delícia? Precisam-se de umas 2 romãs para fazer o suco, mas ele sai. É azedinho e vai apetecer a quem gosta de  sucos assim, tipo graviola.

9 comentários:

  1. Esse layout, com esse fundo, atrapalha a leitura.

    ResponderExcluir
  2. Oi Nathalia, continuo adorando o seu blog! O layout está ótimo e eu estou encantada com a diagramação da página, as cores, os temas e, principalmente, com a riqueza de detalhes na descrição dos fatos, situações e locais. Vocês estão um arraso nas fotos! Eu estou aproveitando todas as informações, quase decorando o blog...Viajo amanhã para Istambul e, não querendo desrespeitar o autor do último comentário, difícil mesmo vai ser ler a colinha que eu estou fazendo para levar...com letrinhas (fonte) Utsaah, tamanho 4, espaçamento 0.

    Abs, Laura.

    ResponderExcluir
  3. Hahahahah Laura, eu fiquei encucada com esse comentário anônimo também. A questão é: eu não achei onde deixar o fundo mais opaco, ok, sr. Anônimo? Se você tiver alguma solução pra mim, me ajuda aí, vai.

    Laura, muito boa viagem! Fico agoniada e dá vontade de postar todas as dicas de uma vez, mas eu gosto de ser detalhista e acabo demorando horrores pra fazer um postzinho!

    Se tiver alguma dúvida, manda um e-mail pra mim, eu botei ali na página de contato! Vai ser um prazer ajudar.

    E quando voltar, volta aqui também pra dar seu depoimento sobre a viagem e mandar fotos! Eu posto aqui no blog!

    Güle güle! (Tchau tchau!)

    ResponderExcluir
  4. Onde que fica dificil pra ler? O.o

    ResponderExcluir
  5. viajamos, meu marido e eu, para a turquia no dia 30 de janeiro; em pleno inverno - tenho receio de pegar chuva, já o frio me agrada muito.

    o que levar e o que comprar lá em caso de um dilúvio??

    obrigada

    rosangela maluf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosângela,

      Em janeiro realmente chove muito lá. O melhor a se levar são aqueles casacos impermeáveis, porque, além da chuva, você vai ter que encarar o vento frio e gélido.Eles vendem esses casacões no Grand Bazaar, se voce for para Istambul, mas como vc ja vai no inverno, aconselho ja levar daqui um casaco para o tempo frio.

      Excluir
    2. Olá, Rosângela,

      Em janeiro realmente chove muito lá. O melhor a se levar são aqueles casacos impermeáveis, porque, além da chuva, você vai ter que encarar o vento frio e gélido.Eles vendem esses casacões no Grand Bazaar, se voce for para Istambul, mas como vc ja vai no inverno, aconselho ja levar daqui um casaco para o tempo frio.

      Excluir
  6. Adelaide Rossini de Jesus11 de agosto de 2013 16:29

    Estamos indo para a Turquia 25/09/13 por enquanto estamos estudando o que é melhor fazer. Ir já toda empacotada ou comprar as passagens de ida e volta e resolver o resto lá. Detalhe não falamos turco nem inglês.
    Agradecidos
    Adelaide e Beto

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Onde posso comprar esse Chá Ali Baba?? Tem algum site que vende??
    Obrigada!!!

    ResponderExcluir